Pular para o conteúdo

Protocolo de Uso do Guia Alimentar da População Brasileira – Pessoa Idosa – Fascículo 2

FASCÍCULO 2
GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO BRASILEIRA NA ORIENTAÇÃO ALIMENTAR DA PESSOA IDOSA

MINISTÉRIO DA SAÚDE – UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

Brasília-DF 2021

Este é o segundo fascículo da série de Protocolos de Uso do Guia Alimentar para a População Brasileira.
O fascículo 2 tem como objetivo apresentar o Protocolo de Uso do Guia Alimentar para a População
Brasileira na Orientação Alimentar da Pessoa Idosa como um instrumento de apoio à prática clínica
no cuidado individual na Atenção Primária à Saúde (APS). Esse grupo de indivíduos inclui aqueles com
60 anos ou mais de idade.

Segundo dados da Pesquisa de Orçamento Familiar 2017-2018, o padrão de consumo alimentar da pessoa idosa brasileira é caracterizado majoritariamente pelo consumo de alimentos in natura ou minimamente processados, principalmente feijão e arroz, seguido de carnes e leite. Entretanto, particularmente notável nesse ciclo da vida é o consumo insuficiente de frutas, verduras e legumes. Alimentos ultraprocessados contribuem com cerca de 15% das calorias consumidas, com destaque para bolachas salgadas e pães industrializados, seguidos dos doces e guloseimas.

Estudos realizados com este ciclo da vida também indicam que é comum entre as pessoas idosas a troca de refeições principais baseadas em preparações culinárias (particularmente o jantar), por lanches feitos, por exemplo, por pães, leite, bolachas/biscoitos e outros alimentos ultraprocessados como salsichas e presunto (IBGE, 2020).

Nessa fase da vida, as alterações fisiológicas, psicológicas e sociais, bem como a ocorrência de doenças
crônicas, o uso de medicações, dificuldades com a alimentação e alterações da mobilidade exercem grande influência sobre o estado nutricional. Algumas características comumente presentes que podem interferir na maneira como a pessoa idosa se alimenta são:

• Perda cognitiva ou perda da autonomia para comprar e preparar alimentos, bem como para alimentar-se;
• Perda ou redução da capacidade olfativa, perda de apetite, diminuição da percepção de sede e da temperatura dos alimentos;
• Perda parcial ou total da visão, que dificulta a seleção, o preparo e o consumo dos alimentos;
• Dificuldade de mastigação por dores nas articulações mandibulares, perda parcial ou total dos
dentes, dificuldade de adaptação de prótese dentária ou agravos que dificultam o controle dos movimentos de mastigação e deglutição.

Além desses aspectos, é essencial que o profissional de saúde esteja atento também à vulnerabilidade
social, ao contexto socioambiental, às disfunções fisiológicas e à dependência funcional deste usuário
para uma orientação alimentar mais adequada. Ressalta-se a necessidade de avaliação por parte
dos profissionais de saúde sobre a capacidade funcional e rede de apoio do usuário idoso, para que seja possível fazer orientações mais próximas das necessidades e compreender qual o suporte disponível para as tarefas que envolvem a alimentação, como planejamento, compras e preparo.

É necessário considerar ainda que alguns indivíduos podem não contar com familiares ou cuidador para auxiliar nas atividades diárias, e a alimentação pode ficar negligenciada por passar a ser vista como uma tarefa difícil de ser desempenhada sozinho. Se a pessoa idosa apresentar uma limitação funcional maior, as recomendações deste protocolo devem ser feitas aos cuidadores responsáveis.

Em casos de maior complexidade clínica e fragilidade funcional, é necessário envolver uma equipe multiprofissional, como equipe de Núcleo Ampliado de Saúde da Família (NASF) ou equipes da atenção
secundária especializada, para que o diagnóstico e a escolha da conduta mais adequada sejam realizados
na perspectiva de um cuidado integral.

Ficha Catalográfica

Brasil. Ministério da Saúde.
Fascículo 2 Protocolos de uso do Guia Alimentar para a população brasileira na orientação alimentar da
população idosa [recurso eletrônico] / Ministério da Saúde, Universidade de São Paulo. – Brasília : Ministério da
Saúde, 2021.
15 p.: il.
Modo de acesso: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/protocolos_guia_alimentar_fasciculo2.pdf
ISBN978-85-334-2881-2
1. Protocolos. 2. Guias alimentares. 3. Atenção Primária à saúde. 4. Atenção à saúde. I. Título. II. Universidade
de São Paulo.

Para baixar, clique no botão ou imagem abaixo:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deseja receber notificações sobre as atualizações mais recentes? Sim Não