Endometriose, Estresse e Saúde Mental

A gente fala tanto sobre estresse que corre o risco de banalizar a palavra, que contém em si um dos maiores problemas do mundo moderno.

“Estar estressada” vai muito além de um estado irritadiço.

É uma condição que pode acarretar graves problemas de saúde.

Para quem tem endometriose, essa relação fica mais óbvia e latente. Mais estresse significa um organismo mais inflamado e, consequentemente, mais dores.

Sim, o corpo fala. E, caso você não preste atenção, ele grita.

A endometriose está intimamente ligada ao nosso sistema de defesa.

Quando esticamos à corda e levamos nosso corpo ao limite – seja com uma alimentação inadequada, falta de exercício, ou sono de baixa qualidade – nosso organismo começa a atacar a si mesmo, agravando sintomas como a cólica, por exemplo.

Mas não é só isso. As quedas de imunidade podem piorar infecções genitais, alterar a flora vaginal e até aumentar a proliferação de fungos.

Tudo isso leva a uma diminuição considerável da libido, prejudicando a vida sexual. Isso sem falar no aumento de casos de ansiedade e depressão.

Não há fórmula mágica.

A gente, enquanto sociedade, precisa se conscientizar de que descanso não é prêmio, e sim uma necessidade fisiológica.

Assim como alimentação de qualidade, rotina de exercícios, sono reparador, meditação, terapia e o que mais você puder fazer em prol da sua saúde mental. Não tenha medo de se colocar em primeiro lugar.

Matéria da Nutricionista Larissa Vieira

Leia Também: 

Programa Alimentação e Endometriose – Protocolo 4R

Suco para portadora de Endometriose

Dietoterapia na Endometriose

Dor Ciática e Endometriose – Entenda a Relação

Receba Atualizações no Canal do Telegram

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe seu comentário:

Seja o primeiro a comentar!