Ovário Policístico e Endometriose tem Cura? Tratamento Natural

Olá quer descobrir a causa da endometriose e da síndrome do ovário policístico (SOP)? Sop tem cura? Endometriose tem cura?

Anúncios

Sabia que toxinas do cozimento e petroquímicos influenciam drasticamente a patogênese destas patologias?

Então fica um pouco mais, vamos aprender mais dados clínicos.

SOP – Síndrome dos Ovários Policísticos

A síndrome do ovário policístico é a mais comum anormalidade em fase produtiva através do mundo ocidental e na verdade ela é correlacionada a altos níveis de androgênio das mulheres, ou seja dos hormônios masculinos, é tida como incurável e correlacionada à obesidade, diabetes e sedentarismo e provavelmente a principal causa de infertilidade, disfunção menstrual e hisurtismo, ou seja o excesso de pelos no corpo.

SOP e AGEs – Subprodutos de Glicação Avançada

No entanto até hoje a etiologia, ou seja, a causa é sempre muito bem debatida, apesar de ser correlacionado com essas alterações, mas hoje em dia nós sabemos que a SOP é correlacionada com AGEs, o subproduto da glicação avançada, independente de outros fatores contribuintes, ou seja é a obesidade é um fator contribuinte, mas mesmo em mulheres magras com altos níveis de AGES séricos (no sangue) sofrem em maior propensão a sofrer de SOP.

Anúncios

Os níveis AGEs e até mesmo RAGEs, ou seja os receptores da glicação avançada estão extremamente presentes ovários policísticos e independente de outros fatores.

Por exemplo você pode ter obesidade ou sedentarismo, mas ainda assim, até mesmo em mulheres magras ter altos níveis de AGES séricos com maior incidência da doença e maior gravidade, maior implicação da patologia.

Mais Informações sobre os AGEs:

O que as pessoas geralmente não sabe é que o AGES, subprodutos de glicação avançada são formados durante o processo de cozimento e aumenta o quanto mais um alimento é queimado ao fogo, que nós chamamos até mesmo no eufemismo de comida cozida, mas na verdade seria queimar nossos alimentos e queimar nossos alimentos forma inúmeras toxinas.

Uma das mais estudadas são os AGEs e eles são mais formados em certos tipos de alimentos e em certos tipo de cozimento ou seja alimentos com mais proteínas e lipídios tem maior formação.

Anúncios

Por exemplo uma castanha pode ter até 36 vezes mais AGEs, uma castanha torrada, na sua contraparte crua.

E principalmente proteína animal e ainda mais frita, com quantidade de cozimento com óleos e em extremas temperaturas têm maior formação de AGEs, uma  drástica maior formação de AGES quando a gente olha a tabela.

Então os cientistas geralmente sugerem formas da gente minimizar a ingestão de AGES e que muitas pessoas não sabem é que nós temos formação dos AGEs  endógenas ou seja, certos tipos de patologia e um corpo não saudável vai acabar formando mais AGES dentro do seu organismo.

Então ao invés de seguir as recomendações de minimizar a exposição aos AGEs, porque nós não cortamos completamente a exposição aos AGEs, porque nós sabemos que a comida crua tem quantidades irrisórias de AGEs, tem antioxidantes, fitonutrientes e o consumo de frutas e vegetais são inversamente correlacionados altos níveis séricos, ou seja os fitonutrientes, os antioxidantes até mesmo auxiliam a não formação endógena e a proteção da exposição endógena, protegendo com pelo menos ingestão ao total.

Faz muito mais sentido comer mais comida crua do que a gente tentar cozinhar os alimentos, já que não é uma necessidade fisiológica comer comida queimada ao fogo.

BPA (Bisfenol A)

Muitas pessoas conhecem o chamado BPA (Bisfenol-A) uma dioxina, ou seja, um dos mais de 400 compostos usados pela indústria petroquímica em prol de transformar a nossa vida moderna mais agradável como eles sugerem.

Entretanto a produção desses compostos petroquímicos são liberados no meio ambiente através dos produtos que são produzidos e até mesmo durante o processo de produção na indústria através de efluentes,ou seja, são jogados na água, além de o próprio plástico que você tem em casa, o celular que você segura no momento, o perfume que você usa,  a lata que reveste seu alimento contém BPA, ou provavelmente se não contêm BPA, contém outros tipos de compostos quase tão tóxico quanto.

Então todas as dioxinas assim a atividade estrogênica e anti androgênica, são consideradas como desrruptores endócrinos e agora estamos vendo os dados clínicos e mostrando que a exposição neonatal ao BPA aumenta a incidência de síndrome de ovários policísticos, até mesmo em ratos.

Então os disrruptores endócrinos quebram o parâmetro dos hormônios, elevando o nível de estrogênio no homem, mas também causando desequilíbrio hormonal nas mulheres.

E à exposição ao BPA que praticamente durante todo o seu dia, você tem exposição algum tipo de petroquímico que tenha a mesma atividade provavelmente similar ao BPA, porque todos eles tem atividade estrogênica e anti androgênica vai ser disrruptor endócrino e provavelmente vai contribuir a patologia, a patogênese dessa doença.

Então apesar da medicina, muitos profissionais de saúde ainda não saberem desses dados clínicos você pode facilmente correlacionar a síndrome do ovário policístico as toxinas do cozimento e aos petroquímicos que a gente utiliza com dados clínicos confiáveis sobre essa correlação.

Endometriose:

E o mais interessante é que esses dois fatores também são correlacionados a endometriose uma outra doença extremamente comum no ocidente e que tem baixíssimos índices em civilizações não industriais.

A endometriose é uma patologia na qual o endométrio ou seja a mucosa que reveste a parede interna do útero começa a se desenvolver também em outras regiões ou seja células e tecidos endometriais migram no sentido oposto, desencadeando uma reação inflamatória e sangramento

É literalmente uma menstruação indo no sentindo oposto, o que geralmente ela é caracterizada, com excessos de níveis de estrogênio e correlacionar em vários sintomas como:

  • Dores durante o ato sexual;
  • Dor ao urinar;
  • Além disso ela causa fortes, dores que reduz consideravelmente a qualidade de vida de uma mulher.

O mais interessante é que apesar da endometriose que muitas vezes tem causa idiopática, ou seja, não conhecida, nós já sabemos que é uma doença dependentes de estrogênio, quando nós nos expomos a disruptores endócrinos, que  aumentam, têm atividade estrogênica e obviamente não vai ser benéfica.

A gente sabe que fitalatos, entre outros petroquímicos contribuem a patogênese da doença e elevam o nível sérico de estrogênio.

Além os AGEs e RAGEs ou seja as toxinas do cozimento, seus receptores de dentro do organismo também em maiores níveis séricos são correlacionados a patogênese da doença, enquanto na verdade o consumo de soja devido a isoflavonas é correlacionada a proteção contra a doença.

É obviamente um alimento de origem vegetal  que vai auxiliar, a endometriose tem inúmeras complicações:

  • Causando disuria, ou seja, dor ao urinar,
  • Dor durante o ato sexual,
  • Infertilidade,
  • Dores abdominais,
  • Fadiga,
  • Cansaço,
  • Distúrbios de sono,
  • Bexiga, entre inúmeros outros sintomas que na verdade há muitas das mulheres que eu converso às vezes sofre de síndrome de ovário policístico ou sofrem de endometriose e são completamente leigas a um dos assuntos mais importantes.

Talvez sobre a patologia dessa doença que está em artigos médicos científicos, mas infelizmente a maior parte dos profissionais da área de saúde não sabe que existem inúmeras publicações correlacionando endometriose, SOP aos AGES e disruptores endócrinos, dioxina

Todo tipo de petroquímicos que esta no meio ambiente, e todo eles estão em todo lugar, inclusive no nosso sangue, na urina, no leite materno, principalmente não devido à exposição diária destes compostos, mas de acordo com os dados clínicos principalmente devido ao consumo de carnes, queijo, leite, ovos, a bioacumulação e biomagnificação na cadeia trófica pelos animais de abates, os quais a população como um todo consome deliberadamente e todas as pessoas praticamente.

Nem eu posso me dizer que enquadro nesse exemplo de estar em contato com constante petroquímicos, através de produtos de higiene, produtos de limpeza e inúmeras coisas industrializadas, comida industrializada, entre inúmeros outros fatores eu me isento quase por completo da exposição ao petroquímicos, o toque na pele, passar dentro do meu corpo o botar para dentro do meu corpo.

Obviamente o vegano têm menores níveis de dioxinas em seu sangue por inúmeros fatores até mesmo proteção devido à dieta, então um dos fatores que eu mais recomendo se você quer é rever seus conceitos e não esperar é provavelmente uma década ou mais para os dados científicos serem atualizados a prática clínica.

Então comece a comer mais frutas e vegetais e menos comida cozida e menos exposição as toxinas ambientais através de petroquímicos de qualquer coisa industrializada.

Matéria do Corassa

Importante:

As informações do site não substituem aconselhamento individualizado, nem tratamentos adequados para seu caso. As dicas de saúde possuem finalidades puramente educacionais e não devem ser usadas em substituição aos cuidados propostos por seu nutricionista, médico ou outros profissionais de saúde.

Saiba Mais sobre o Programa Endometriose
Vote post

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe seu comentário:

Seja o primeiro a comentar!