Obesidade é uma Questão Genética?

Obesidade é uma Questão Genética? Por Cecília Rios

Anúncios

Será que a obesidade é uma questão genética? Dizer que sim é simplificar demais uma condição multifatorial e altamente complexa.

De acordo com a literatura, a interação entre fatores genéticos e ambientais tem um papel relevante na patogênese da obesidade, uma vez que a predisposição genética está associada com:

  • Maior consumo de alimentos e bebidas açucarados;
  • Predileção por alimentos gordurosos;
  • Alterações na homeostase energética e;
  • Dificuldades na percepção da fome e saciedade.

Ainda, do ponto de vista genético, a obesidade pode ser classificada em 3 tipos:

1-Monogênica: quando um único gene é capaz de alterar o fenótipo, como LEP (leptina), LEPR (receptor de leptina) ou MC4R (receptor de melanocortina-4);

2-Poligênica: quando está associado à múltiplos genes, como FTO (massa de gordura corporal), PPARG (adiposênese) e UCP1 (termogênese) e;

Anúncios

3-Sindrômica, que é extremamente rara e ocorre frente ao diagnóstico de síndromes como Prader-Willi, Cohen e Alstrom.

Você conhecia estas classificações? Já aplica os conhecimentos da Nutrigenômica no tratamento da obesidade? Me conte sua experiência nos comentários!

Para saber mais sobre este tema e prática clínica, conheça os “20 Estudos de Casos em Nutrigenômica”. Acesse o site e saiba mais: http://www.nutrigenomicadescomplicada.com.br/20casos

Bons estudos! ;-D

DOI 10.1038/s41574-020-0346-8
DOI 10.1038/s41574-019-0176-8

Anúncios

Leia Também:

 

Vote post

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe seu comentário:

Seja o primeiro a comentar!