Qual a Diferença – Óleo de Krill e Peixe

Você vai atrás de um ômega 3 e o vendedor te apresenta um tal de óleo de krill e vc fica na dúvida se é igual ao óleo de peixe? Vamos às explicações!

Anúncios

De onde vem?

A primeira diferença é a origem de cada óleo. O óleo de Krill (KO) é extraído de pequenos crustáceos chamados de Krill antártico (Euphausia suberba) e o Óleo de peixe (FO) costuma ser extraído de peixes como sardinha, anchovas ou salmão.

Ômega:

Ambos são ricos em ômega 3, com grandes quantidades de EPA e DHA e uma boa relação entre EPA/DHA, porém, o óleo de peixe leva uma enorme vantagem quando pensamos em custo benefício. O KO é extremamente caro e pensando apenas em omega 3, o FO deverá ser sua escolha!

Metais pesados:

Como o KO é a base da cadeia alimentar, as quantidades de metais pesados e outros contaminantes é praticamente zero. Se escolher um ômega 3 vindo de óleo de peixe, procure sempre o com a certificação internacional IFOS (International Fish Oil Standards Program).

Anúncios

Essa certificação garante um produto com baixas quantidades de mercúrio, cádmio, chumbo, arsênico, dioxinas, PCB e mais alguns outras toxinas, assim como testa a oxidação total do produto.

Então qual a vantagem do KO? A maior diferença é devido a presença de um carotenoide chamado Astaxantina, um antioxidante extremamente eficiente na redução da inflamação e controle da produção de radicais livres. Tem alguns trabalhos interessantes mostrando efeito positivos principalmente na saúde da pele (principalmente pele fotoenvelhecida) e cardiovascular, embora ao meu ver, ainda precisa se “provar”!

Ambos possuem prós e contras. Se estiver buscando apenas um aumento do consumo de ômega 3, o óleo de peixe leva vantagem. Se precisa de um aporte maior de Astaxantina, o Krill será superior.

Já usou o óleo de krill ou conhece?

Matéria do Nutricionista Felipe Rossini

5/5 - (1 vote)

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe seu comentário:

Seja o primeiro a comentar!