Glutationa Reduzida no Autismo

Por Adriana Siqueira – A glutationa é composta por três aminoácidos: cisteína, glicina e ácido e ajuda a proteger as células de danos ambientais e oxidativos químicos, que ocorrem no dia a dia.

Anúncios

A glutationa também ajuda o fígado a desintoxicar, Hoje sabemos que no autismo a glutationa é diminuida, inclusive o maior causador de estresse oxidativo aumentado e disfunção mitocondrial.

Existem muitas formas de aumentar os níveis de glutationa, utilizando tanto a dieta quanto suplementos alimentares.

Frutas e vegetais ricos em enxofre:

  • Abacate;
  • Brócolis;
  • Repolho;
  • Couve-flor;
  • Alho;
  • Couve;
  • Cebola;
  • Tomate.

Alimentos ricos em cisteína, como frango, peru, iogurte, queijo, ovos, sementes de girassol e legumes, também podem ajudar a elevar os níveis sanguíneos de glutationa.

Quando isso não for suficiente, os suplementos a seguir podem ser considerados:

  • Ácidos graxos ômega-3;
  • NAC (N-acetilcisteína);
  • Vitaminas do complexo B;
  • Vitamina C (ácido ascórbico);
  • Vitamina E;
  • Ácido alfa-lipoico (ALA);
  • Selênio;
  • Chá verde;
  • Cúrcuma;
  • Silimarina;
  • Ginkgo biloba.

Consumir os alimentos é sempre o melhor que suplementar, mas no caso no autismo que tem como uma das maiores comorbidades o estresse oxidativo e inflamação, um suplemento em doses apropriadas pode fazer toda a dirferença. Compartilhe!

Anúncios

LeiaTambém:

Uso da Curcumina no Autismo

Pycnogenol no TDAH

5 Causas da Seletividade Alimentar no TEA

4.5/5 - (2 votes)

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe seu comentário:

Seja o primeiro a comentar!