Lactato – Uma Faca de 2 Gumes

Se o lactato é bom ou ruim, eu não posso afirmar, mas que pode ser bom ou pode ser ruim é verdade.

Quando fazemos uma atividade física de alta intensidade, utilizamos o glicogênio muscular que sofrerá glicólise anaeróbica produzindo 3 ATP’s e o lactato que é exportado para a circulação, vai para o fígado onde sofre a gliconeogênese sendo reconvertido em glicose que é novamente utilizada pelo músculo ou por hemácias e encéfalo.

O lactato liberado pelos astrócitos ou pelo músculo pode ser utilizado para a produção de ATP nos neurônios. Já o lactato exportado por cones e bastonetes da retina pode ser utilizado pelas células epiteliais da retina para produção de ATP.

Os rins também utilizam o lactato para gliconeogênese e produção de ATP.

Porém, no câncer, o lactato elevado pode ser prejudicial, pois ele induz a diferenciação de linfócitos T reguladores e promove a polarização de macrofagos M1 para M2, induzindo a tolerância imune, o que seria ótimo em doenças autoimunes, mas prejudicial no câncer, visto que a supressão imune leva à menor destruição das células tumorais.

O lactato inibe a atividade efetora de linfócitos natural killers, reduzindo a destruição tumoral. Porém, através da lactilação de histonas, aumenta a expressão do Fator Indutível por Hipóxia (HIF-1a) que por sua vez aumenta a expressão de fatores angiogênicos e de metaloproteinases de matriz, promovendo a angiogênese e metástase.

Como o lactato é exportado junto a prótons H+, induz a resistência à quimioterapia.

O lactato também reduz a excreção do urato, favorecendo o aumento do ácido úrico relacionado à hipertensão, resistência à insulina e gota.

O lactato junto à protons H+ forma o ácido lático que inclusive é produzido por bactérias intestinais e vaginal, reduzindo o pH do intestino e vagina, protegendo contra infecções bacterianas e fúngicas.

doi: 10.3389/fnut.2023.1113739

doi: 10.3390/cancers15010087

doi: 10.1038/nrn.2018.19.

doi: 10.1016/j.redox.2020.101454

doi: 10.1186/s40168-022-01337-5

Matéria do nutriconista Leonardo Borba

Leia Também:

Complexo B e Mitocôndrias

Principais Patologias do Sistema Nervoso

O Olho Seco Possui Múltiplas Causas

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe seu comentário:

Seja o primeiro a comentar!